Joaquim Vitorino Ribeiro dedicou algumas das suas composições a temas históricos e religiosos onde manifesta interesses e opções temáticas muito próprias e alheias aos movimentos estéticos em que se enquadravam com maior incidência os seus contemporâneos. Em 1873, após ter frequentado o curso da Academia Portuense, partiu para Paris onde se propunha completar a sua formação artística. No Salon de 1880 apresentou o Mártir Cristão, obra executada em 1879 que bem expressa a adesão do pintor à linguagem e estética simbolistas.